quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Entrevista com Sophie Nélisse (Liesel)


A adaptação "A menina que roubava livros" chega ao Brasil nesta sexta-feira (31), acabando com a expectativa de inúmeros leitores apaixonados. 
A atriz Sophie Nélisse é a estrela do filme, e cedeu uma entrevista para Joe Utichi, falando sobre os desafios de interpretar a personagem Liesel.

Do que você mais gosta em interpretar Liesel?
Bem, ela é muito forte e divertida de interpretar porque experimenta várias emoções. No início, ela estava pensando: “Estou com um pouco de medo e um pouco intimidada”, mas, conforme o filme avança, ela fica mais forte e corajosa. Então descobre o amor e desenvolve uma ligação especial com Max… Liesel passa por muitas coisas. É tão maravilhoso vivê-la, porque não é um papel fácil, mas é incrível de interpretar.
Você vê semelhanças entre você e Liesel?
Ela é uma lutadora, um pouco como eu. Não desisto quando quero alguma coisa. Ela é corajosa e também nunca desiste, é bem parecida comigo.
Como é trabalhar com Emily Watson e Geoffrey Rush?
Os dois são muito bons porque são profissionais, e eu posso aprender bastante com eles. O modo como trabalham, como atuam e toda a preparação que fazem para as cenas são inspiradores. Às vezes eles me dão conselhos, o que acho ótimo. É muito divertido, e também uma oportunidade de ser meio que mimada todo dia por estar ao lado deles.
Que tipo de filme você acha que vai ser?
Acho que é um filme inspirador porque, por mais que fale sobre a guerra, não é depressivo. É triste por causa de tudo o que aconteceu, mas é meio que outra forma de enxergar as coisas. As palavras são vida. Liesel aprende a ler e sobrevive por causa disso. Isso também se aplica à gente; se você está passando por dificuldades, pode ver o lado bom da vida. E, devido às palavras, Liesel enxerga o mundo de um modo mais bonito.
Você lê muito?
Gosto dos livros de que eu gosto. Quer dizer, sabe quando as pessoas não gostam de um livro mas vão até o fim e dizem: “É, ele era ruim”? Se eu tenho que ler um livro ruim, penso: “Isso é chato, não vou ler mesmo.” Se o livro for bom, leio muito, muito rápido e digo: “Legal, quero ler o outro.” Se for ruim, levo uns dez anos para ler!
Quais são seus livros favoritos?
Gosto muito de livros no formato de diários, coisas de menina. Mas minha melhor amiga me mostrou um livro de que eu gostei. No início não achei que fosse meu estilo. Era uma espécie de mistério/fantasia sobre animais chamada Fableheaven. É muito legal. Eu gostei bastante e li todos os quatro volumes. Os livros são grandes, mas tão bons que se tornaram meus favoritos.
Como foi estar em Berlim?
É legal fazer a filmagem em Berlin. É muito divertido e dá para aprender um pouco, já que o filme também é ambientado na Alemanha. Você pode aprender mais com o filme porque está no lugar em que ele se passa.
Você fala alemão?
Sei contar até 100. Aprendi a dizer “Tchüss,” “Hallo,” “Wie geht es dir?”, “Mir geht es gut.” Algumas palavras. Mas acho que não vou falar alemão depois de quatro meses aqui!
De que você mais gosta em atuar?
Gosto de interpretar um papel que seja bem diferente de mim e experimentar coisas novas. É maravilhoso viver um personagem e realmente ser esse personagem. É difícil — é um trabalho —, mas também é muito divertido, e depois eu posso me ver e dizer: “Eu experimentei isso”, o que é legal.
Você vê muitos filmes?
Sim. Filmes não são como livros, por isso, mesmo quando são chatos, mesmo quando são ruins, eu vejo até o final. Sei que isso é bobo, mas gosto de filminhos toscos. Meu pai fala: “Por que você vê essas coisas idiotas?” E eu rio de mim mesma porque continuo assistindo, mas eu gosto de todos os tipos de filme.
Com que atores você mais gostaria de trabalhar?
Gosto muito do Johnny Depp porque achei ele engraçadíssimo em Piratas do Caribe. Talvez Jessica Chastain, ela é ótima. Há muitos atores bons. Gostaria de trabalhar com a maioria deles, pois todos têm muitas coisas a me oferecer.
Você decidiu investir na carreira de atriz?
Sim. A menos que as pessoas parem de gostar de mim e não me contratem! Mas, enquanto eu tiver oportunidade, vou continuar nesse caminho.