quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Fotografias documentam a Rússia antes do comunismo




Fotografias do químico e fotógrafo Sergei Prokudin-Gorski (1836-1944) que documentaram a Rússia nos anos interiores à revolução comunista, estão expostas em Berlin. As imagens foram cedidas pela Biblioteca do Congresso americano, e estão sendo exibidas no projeto Nostalgia, com exposição e livro comercializado pelo site da editora alemã Gestalten. 

O que mais chama a atenção nas fotos de Sergei são as cores, tendo em vista que seu trabalho é dos primeiros anos do século XX, elas não seguem o cinza-padrão que a tecnologia da época permitia. Mesmo Gorski não tendo inventado a fotografia colorida, pois esse mérito é do físico James Clerk Maxwell, em 1861, ele foi o primeiro a conferir relevância artística e profundidade histórica às fotografias com cor.



O fotógrafo documentou o império russo, para apresentar toda a beleza e riqueza de seu país, que mais tarde foi arrasado com o comunismo. Tal trabalho chamou atenção do czar Nicolau II que recrutou seus serviços em 1909, e com ajuda financeira, Gorski fotografou a Rússia do Mar Báltico ao Oceano Pacífico. E só abortou o trabalho em razão da I Guerra, quando o fotógrafo foi obrigado a se exilar em Paris, com a sua família, onde morreu em 1944.

A técnica era similar a desenvolvida por Maxwell. Os russos precisavam ficar imóveis por vários segundos, e com uma câmera que batia fotos em sequência rápida, o fotógrafo registrava a pose com três filtros diferentes, um vermelho, um verde e outro azul. As três chapas monocromáticas eram tão superpostas e unidas por meio de uma luz especial, que constituía a cena em suas cores originais.

Agora resta esperarmos que um dia uma exposição dessas chegue ao Brasil!