quarta-feira, 25 de julho de 2012

A história oficial e seus heróis anônimos


É ótimo encontrar um livro bem escrito, com preço acessível e com boa diagramação, não é? É exatamente assim com o livro Segunda Guerra – A história oficial e seus heróis anônimos de Daniel Rodrigues Aurélio. Extremamente didático, em primeiro lugar o autor se preocupa em explicar as causas da guerra, sendo assim entra de cabeça na Primeira Guerra Mundial, conta como foi o Segunda Guerra , com todos os seus famosos personagens, conhecidos como “senhores da guerra” Adolf Hitler, José Stálin, Frankilin Roosevelt, Winston Churchill e seus oficiais de altíssima patente.

O enredo é todo baseado em fatos reais e com inúmeras dicas bibliográficas e filmográficas, Daniel nos apresenta complementos para maior conhecimento. Mas o que o diferencia dos demais livros sobre este conflito bélico é a análise carregada de sentimentalismo, não se preocupando apenas com números e estatísticas, sua maior ênfase está na emoção, naqueles que fizeram a diferença seja para o bem ou para o mal, mas mesmo assim não possuem seus nomes nos demais livros de história. Aqueles que não merecem ser apenas um número e sim ser uma história, um personagem. E é seguindo essa linha que a segunda parte do livro é escrita.

Como a história do professor universitário Jürgen Weber que acreditava e defendia as ideologias nazistas, mas depois percebe que estava errado e se arrepende, mas como não havia espaço para arrependimentos nesse regime, é apreendido e morto pela Gestapo. “A bala de pistola atingiu-lhe o coração, poupando-o de acompanhar o aumento dos horrores de uma ideologia que, da sala de aula, contribuiu para desenvolver”.

E a última história nos permite voltar aos dias atuais, com uma conversa sobre guerra e paz entre amigos em um barzinho de Joinville, trazendo todas as questões do conflito para os dias atuais, e tirando essa visão errônea de que em uma guerra o conflito é entre o bem e o mal. Para finalizar o autor traz o poema de Vinícius de Moraes, Rosa de Hiroshima, que faz alusão as bombas despejadas nas cidades japonesas de Hiroshima e Nagasaki. Mesmo poema que está abaixo, cantado pela banda Secos e Molhados, acompanhado de imagens de um documentário da Discovery Channel.

Para mais informações sobre esta e outras obras de Daniel Aurélio acesse http://www.danielraurelio.blogspot.com.br/