quarta-feira, 20 de junho de 2012

Produção musical em discussão no Papo Universitário

Ontem aconteceu a segunda edição do papo universitário de 2012, com o tema Produção musical no Paraná, os convidados Karol Conká, Rodrigo Lemos, Heitor Humberto e Paulo Juk se reuniram no Teatro Paiol e foram mediados pelo jornalista da Gazeta do Povo Luigi Poniwass.

Foi reivindicado mais lugares para shows em Curitiba, e Heitor Humberto, vocalista da banda Gentileza frisou que é preciso casas com boa qualidade de som. "No nosso caso, como há mais instrumentos musicais, não conseguimos nos apresentar em qualquer palco, é preciso prezar pela qualidade".

Enquanto o Rio de Janeiro é marcado pelo funk, a Bahia pelo Axé, foram mencionados inúmeras vezes nas perguntas do público e também nas falas dos convidados, a falta de identidade cultural do Paraná, mas Rodrigo Lemos, guitarrista d’A Banda Mais Bonita da Cidade e vocalista da Lemoskine, definiu bem esse aspecto. "A Identidade musical do Paraná, é não ter identidade, e isso é algo bom, é possível ter inúmeros estilos musicais em um só lugar". E Paulo Juk integrante da banda Blindagem acrescentou. " Não existe estilos de música, existe música boa e ruim, e isso em qualquer lugar".

A cantora e compositora, Karol Conká comentou que já sofreu preconceito, por ser mulher no meio do rap. "Eu já cheguei em um lugar sofisticado, e quando eu falei que cantava e me perguntaram que tipo de música, eu respondi MPB. Porque MPB sooa melhor do que Rap. Mas não sofri muito preconceito não, porque já cheguei, chegando, e mostrando quem eu sou". Conká, ainda conta que não escuta muito rap para não fazer o que já estão fazendo, e que usa isso como diferencial no meio musical.

Rodrigo Lemos disse que para ele sucesso é fazer o que gosta independente do retorno, comentando sobre o mesmo assunto Heitor brinca dizendo que sucesso para ele é cantar no programa Criança Esperança e Karol Conká utiliza do humor também, para explicar que sucesso para ela é fazer uma parceria com o Rapper Jay-Z.