quinta-feira, 28 de junho de 2012

Dia de clássico


Hoje começo um quadro aqui no Blog, chamado dia de clássico, quinzenalmente  terá  uma análise e comentários de um livro de literatura brasileira, para tentar tirar esse paradigma errôneo de que a literatura nacional é chata ou cansativa.

O livro de estreia é O Alienista de Machado de Assis. Com a linguagem, irônica e crítica que só o mestre da literatura possui, Machado tem em seu conto análises psicológicas e sociais, crítica à política com seus desejos individuais disfarçados de coletivos e até mesmo um questionamento quanto à ética da ciência e os experimentos de cientistas.


Para começar explico o título, Alienista era considerado o médico que se especializava em cuidar de problemas ligados à mente, trazendo para os dias atuais seria mais ou menos a área do psiquiatra.

 Pois bem, o Alienista no caso era Simão Bacamarte que decidiu estudar o comportamento dos habitantes da cidade de Itaguaí, depois de uma análise percebe que alguns necessitavam de cuidados especiais, então com o consentimento do governo local, manda construir uma casa para instalar e estudar tais loucos. Surge a Casa Verde, nome dado devido a cor de suas janelas.

E o que era um orgulho para a cidade se tornou o horror dos habitantes, devido aos recursos que o Alienista possuía para distinguir loucos de pessoas normais. O caos se instala na cidade levando a uma revolta popular, a revolta dos Canjicas.

O melhor do conto é o seu fim, que foge a regra. Como Simão percebe que 75% da população apresentavam desvios de personalidade, desvios de padrão, então o normal era não seguir um padrão. Percebendo isso muda sua estratégia e decide internar na Casa Verde todas as pessoas normais.

Não conseguindo o êxito esperado, nota que a única pessoa que reunia adjetivos de moralidade que ninguém ousava discordar, se tornando uma exceção, era ele mesmo, logo o único anormal era o próprio Alienista, sendo assim decide se trancafiar na sua própria Casa Verde, e permanece entre estudos e experimentos até sua morte. 

E se mesmo depois de te adiantar um pouco da trama, você não se entusiasmou a ler o conto, te indico essa história resumida em quadrinhos: http://www.pixton.com/de/comic/kdtkcp9y !