terça-feira, 8 de novembro de 2011

O mundo virtual no Papo Universitário

André Telles, Raphael Mendes, Luidi Poniwass e Alexander Baer


Nesta segunda-feira (07), o Teatro Paiol emprestou seu espaço para a segunda edição do Papo Universitário de 2011, que abordou o tema “O timing nosso de cada dia”. E em discussão estava a conciliação do mundo real com o mundo virtual e também do profissionalismo com o entretenimento nas redes sociais.

Para discorrer sobre o assunto foram convidados: o autor do blog O Bobagento, Raphael Mendes, o especialista em marketing digital, André Telles e o consultor de carreira, Alexander Baer, mediados pelo colunista da gazeta do povo, Luigi Poniwass.

Raphael Mendes, conta que há 6 anos chegou a Curitiba. Longe de seu estado natal, Espírito Santo, a única maneira de permanecer conectado com os seus amigos era por intermédio da Internet, e foi assim que em 2007 nasceu o Blog O Bobagento. Atualmente com uma média de 80 mil acessos diários, já se tornou um dos blogs de humor mais acessados no Brasil.
Raphael acredita que a Internet chegou para ocupar o espaço da televisão. “No meu tempo de adolescente eu assistia TV porque não existia internet, mas acredito que  melhorou, porque com ela nós podemos buscar informação e conhecimento”, diz o blogueiro.

Alexander Baer conta que as redes sociais podem auxiliar na vida profissional, e que as empresas estão cada vez mais procurando seus empregadores via facebook, twitter e também LinkedIn. .“O Chacrinha já dizia que quem não se comunica se trumbica. Você tem de pensar que não tem dois ou três concorrentes em Curitiba, mas concorrentes pelo mundo todo. As pessoas entram na rede social, mas não a alimentam. Ou falam de tudo, do churrasco, da festa, mas conteúdo para as empresas te acharem não tem nada”, diz o consultor de carreira.

André Telles acha importantíssimo o acesso a Internet para todos, mas alerta que é preciso ter cuidado para não perder as conexões reais, e acrescenta que no trabalho deve haver um limite de uso das redes sociais. “Há manuais de conduta, elaborados por comunicadores sociais, que auxiliam na quantidade de tempo do uso da internet no trabalho, mas não há legislação nenhuma que proíba. E eu acredito que deve haver um limite, mas jamais um bloqueio” diz o especialista em marketing digital.